Como grupos de acesso yahoo

Como a repressão cercou vários pontos de acesso ao centro da cidade, elas trocaram informações por redes sociais sobre onde estavam as tropas de choque e quais os percursos alternativos. O mesmo recurso está sendo usado neste domingo. Yahoo Vida e Estilo. ... O ex-prefeito Fernando Haddad decidiu não participar presencialmente da convenção do PT que oficializará o nome de Jilmar Tatto como candidato a prefeito de São Paulo, neste sábado (12), o que gerou uma crise interna no partido. Dirigentes da campanha tentam convencê-lo a mudar de ideia. Aprenda a criar grupos no Yahoo! Groups. Com essa dica você vai descobrir como é fácil usar sua conta de e-mail para se conectar com pessoas e debater interesses e ideias. Através de ... Yahoo Grupos Práticas de compartilhamento e divulgação de informações. As mensagens enviadas por e-mail para um grupo ou nele inseridas por meio do site do Yahoo Grupos sempre incluirão seu endereço de e-mail. Os cabeçalhos completos de todas as mensagens podem ser vistos por qualquer pessoa ao acessar o Yahoo Grupos através do site. Enviamos um e-mail informando que estamos atualizando nossas políticas de autenticação em relação ao acesso a e-mails de terceiros para proteger melhor as contas do Yahoo Mail. Talvez seja necessário atualizar suas configurações de conta em programas de terceiros para usar uma abordagem mais segura. Nesta quarta-feira (16), o Yahoo anunciou que vai encerrar o Yahoo Grupos. Os usuários poderão postar novos conteúdos até o dia 20 de outubro, e no dia 14 de dezembro todo o conteúdo do site ... Uma extensão ao seu grupo real de amigos, interesses e comunidades. Novidades: ver vídeo Entrar; OU; Iniciar um novo grupo; Você deve ser um usuário Yahoo registrado para iniciar um grupo. Nosso destino é uma caixa de entrada organizada e atualizada. Entre e comece a explorar todas as ferramentas gratuitas de organização de e-mail. Confira novos temas, envie GIFs, encontre qualquer foto que já tenha enviado ou recebido e faça buscas em sua conta uma rapidez incrível. Como Se Juntar a um Grupo do Yahoo. Não importa quais sejam seus interesses, existem muitas pessoas que gostam das mesmas coisas. O Yahoo Grupos é uma comunidade online onde você pode encontrar outras pessoas com interesses e passatempos... Grupos; Ver mais Buscar ... Como configurar, usar e gerenciar a Chave da conta do Yahoo para entrar e parar de usar senhas. 4. Adicionar ou remover um método de recuperação da conta. 5. Proteger sua conta do Yahoo. 6. Localizar e remover atividade incomum em sua conta do Yahoo. 7.

Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte IV - SUGESTÕES DE LEITURAS pt5 PI

2020.07.23 10:52 diplohora Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte IV - SUGESTÕES DE LEITURAS pt5 PI

INGLÊS
Para todos os idiomas, recebi boas recomendações do site http://uz-translations.net/.
Não tenho bibliografia a sugerir, até mesmo porque não estudei Inglês por nenhum livro ou coisa parecida. Se precisar de sugestão de bibliografia, de Gramáticas etc., veja o Anexo II abaixo.
Já recebi recomendações das seguintes páginas na internet:
· http://dictionary.cambridge.org/
· http://englishtips.org/
· http://esl.about.com/od/advancedenglish/Learning_English_for_the_Advanced_Level_ESL_E FL_Advanced_English.htm
· http://owl.english.purdue.edu/owl/
· http://www.bartleby.com/
· http://www.dictionary.com
· http://www.englishclub.com/gramma
· http://www.natcorp.ox.ac.uk/
· http://www.synonym.com/
· http://www.wordpower.ws/grammagramch26.html
POLÍTICA INTERNACIONAL

>> TEORIAS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

- Introdução às Relações Internacionais (Jackson e SØrensen): se você não é graduado em Relações Internacionais, ou se não está familiarizado com o assunto, pode ser importante a leitura desse livro, que dá uma noção bem geral de Teoria de Relações Internacionais (TRI). Acredito ser importante saber alguma coisa de teoria não apenas porque é o primeiro item da relação de conteúdos exigidos no Guia de Estudos de Política Internacional e porque, frequentemente, aparecem questões sobre isso na primeira fase (de forma bem básica, é verdade), mas também porque você adquire importantes ferramentas para complementar uma resposta na prova de Política Internacional da terceira fase (nem que seja para “enrolar” um pouco; questões de terceira fase sobre teoria não são comuns). No Manual do Candidato: Política Internacional (tanto no do Demétrio Magnoli quanto no da Cristina Pecequilo), há breve parte inicial que trata dessas teorias de maneira bem superficial. O Jackson/SØrensen é bem mais completo que os manuais, mas os conhecimentos necessários de teoria para o CACD não vão muito além do básico. Além disso, prefira ler o Jackson/SØrensen ou os manuais a ler os próprios autores de TRI. Além de perder muito tempo, o entendimento completo e correto das obras nem sempre é um trabalho fácil, e o livro e os manuais já trazem tudo resumido e bem “mastigado”. Se tiver um pouco mais de tempo, recomento o Jackson/SØrensen. Se não tiver, os manuais devem servir para alguma coisa. Outra possibilidade é
o livro 50 Grandes Estrategistas das Relações Internacionais (Martin Griffiths), também útil. O livro é dividido por corrente teórica (apresenta Realismo, Liberalismo, Teoria Crítica, Escola Inglesa, Pós-Modernismo, Feminismo, entre outros) e faz bons resumos sobre o pensamento de vários autores de TRI. Entre o Griffiths e o Jackson/SØrensen, eu ficaria com o último, mas o primeiro também pode ser útil, e cito-o aqui para o caso de alguém já o ter. Também recebi recomendações do Teorias de Relações Internacionais, de João Pontes Nogueira e Nizar Messari, mas não sei se é bom (est disponível para download no “REL UnB”). De qualquer modo, não se atenha a muitos detalhes. Tudo o que você precisa saber de TRI deve caber em um resumo de uma ou duas páginas. Atente, apenas, aos aspectos/conceitos mais gerais de cada corrente e aos principais autores.

>> DEMAIS TEMAS

- Política Internacional Contemporânea: Mundo em Transformação (org. Altemani e Lessa): é um livro bem pequeno e de caráter (excessivamente) introdutório. Bem tranquila a leitura, dá para ler de uma vez só. Para aqueles que estão começando os estudos, recomendo como leitura inicial. Para os já iniciados ao assunto, o livro é extremamente superficial. Para quem já começou os estudos há algum tempo, acho que apenas o capítulo 4 (sobre integração europeia17) pode ser de alguma utilidade.
- O Mundo Contemporâneo (Magnoli): já citado acima. Fornece algumas bases de História Mundial necessárias à compreensão de diversos aspectos da Política Internacional. Indispensável.
- Manual do Candidato: Política Internacional (Demétrio Magnoli): já citado em História Mundial.
- Manual do Candidato: Política Internacional (Cristina Pecequilo): deixados de lado os muitos erros de Português e as frases sem sentido ou sem fim, gostei bastante da leitura. É bem abrangente, fala de alguns tópicos importantes e não cobertos pelo restante da bibliografia que eu havia lido até então. Se possível, leia este manual antes de começar a ler as demais obras de política internacional, mas já sabendo que ele deixa muitos itens do edital de fora (especialmente os temas da agenda internacional do Brasil e algumas temáticas de relações bilaterais; quanto às demais partes, estão quase todas no livro – de maneira introdutória, é claro). Reitero que se trata de leitura de caráter meramente introdutório. Sugiro usar como base, para buscar aprofundamentos em determinados temas, segundo os tópicos previstos no Guia de Estudos (para isso, além de todas as obras disponíveis e indicadas aqui, os artigos publicados na RBPI, no Mundialistas, no Meridiano 47 e no Mundorama podem ser de grande utilidade). Se você já estiver familiarizado com a parte de TRI, comece a ler do capítulo 2 em diante (o capítulo 1 é só sobre TRI e sobre interpretações do pós-guerra fria).
Considero os próximos quatro livros (História da Política Exterior do Brasil, Inserção Internacional e Relações Internacionais do Brasil: Temas e Agendas vol. 1 e 2) os mais fundamentais para as provas de Política Internacional (e de História do Brasil também). Depois de algumas leituras iniciais (como as indicadas acima), sugiro ler esses quatro “livros sagrados”, tomando notas do que for mais importante. Como já disse anteriormente, não fiz muitos fichamentos por causa de restrições de tempo, mas fiz questão de fichar esses quatro, o que me foi muito útil nas revisões para a primeira e para a terceira fases do concurso.
17 Atenção para as modificações mais recentes, como as adesões de Romênia/Bulgária e o Tratado de Lisboa, não contemplados no capítulo.
- História da Política Exterior do Brasil (Amado Cervo e Clodoaldo Bueno): já citado em História do Brasil. Indispensável tanto em História do Brasil quanto em Política Internacional (para Política Internacional, o principal período a ser estudado é a partir de 1945; para História do Brasil, é o livro todo mesmo).
- Inserção Internacional (Amado Cervo): leia o livro todo. Às vezes, é um pouco repetitivo, mas os argumentos do Cervo são bem claros, e é um livro bem informativo. Leitura importante, rápida e tranquila. Os conteúdos do livro são, quase sempre, cobrados na terceira fase, de alguma maneira. Anote os pontos principais, podem ser úteis argumentos para as provas discursivas de Política Internacional e de História do Brasil.
- Relações Internacionais do Brasil: Temas e Agendas – volume 1 (org. Altemani e Lessa): os dois volumes são importantíssimos para as provas do CACD. Fiz fichamento dos dois e revisei minhas anotações várias vezes, antes das provas. É interessante complementar os dados fornecidos por esses livros com as informações disponíveis no “Resumo Executivo”, a ser tratado posteriormente. Se estiver sem muito tempo, pule os capítulos 2 e 3. Nos outros, há coisas boas e coisas ruins (alguns são mal escritos, com muita “enrolação”), mas acho que vale a pena a leitura de todos, mesmo que bem rápida em algumas partes (focar, é claro, nas relações entre o Brasil e as regiões tratadas nos capítulos e discriminadas no Guia de Estudos), à exceção dos capítulos 10 e 11, que considerei inúteis.
- Relações Internacionais do Brasil: Temas e Agendas – volume 2 (org. Altemani e Lessa): assim como o volume 1, é muito importante e indispensável para o CACD. Minha sugestão é ler todos os capítulos integralmente, à exceção dos discriminados a seguir:
- Cap. 3 - O início do capítulo tem muita “viagem” para nenhuma substância nova. Ler apenas do item 3.3.3 (pág. 114) em diante (antes disso, ele apenas define regimes e enrola em coisas que quem já conhece Teoria das Relações Internacionais já está cansado de ouvir; se você não conhece, leia o capítulo inteiro mesmo).
- Cap. 9 - fraquíssimo, não acrescenta praticamente nada. Procure no Google algo didático sobre a criação do Ministério da Defesa e sobre o Sivam que você ganha muito mais.
- Cap. 11 - texto fraco, a leitura não vale a pena.
- Cap. 12 a 14 – é, pura e simplesmente, Análise das Relações Internacionais do Brasil (é bem superficial também). Se você cursou a matéria ou se já está familiarizado com o assunto, eu recomendaria não ler e dar apenas uma olhada no material da disciplina para a terceira fase. Não é um tema muito recorrente no CACD (embora possa cair de maneira “disfarçada”, e ter conhecimento desses aspectos da matéria pode render-lhe bons argumentos na terceira fase, dependendo da questão). Se você não conhece a temática, talvez valha a pena a leitura, com grande ressalva para o “talvez”. Pode valer mais a pena pegar um resumo bom da matéria e dar uma olhada ligeira e sem muito compromisso. Para resumos dos textos da matéria tal como é dada na UnB, acesse o “REL UnB”. De todo modo, se tiver tempo, a leitura desses capítulos pode não ser em vão.
- Cap. 15 - desinteressante e escapa ao conteúdo do CACD; leitura desnecessária.
Em resumo, minha sugestão para o Temas vol. 2 é: ler apenas os capítulos 1, 2, 3 (do item 3.3.3 em diante), 4 a 8 e 10.
- O Conselho de Segurança após a Guerra do Golfo (Antonio de Aguiar Patriota) – muito boa obra sobre a atuação do Conselho de Segurança. Curto e de fácil leitura (a obra está disponível para download no “REL UnB”).
- Cooperação, Integração e Processo Negociador: a construção do MERCOSUL (Alcides Costa Vaz): li para uma matéria na universidade e achei tão chato que me prometi que nunca o leria novamente. Não recomendo. Se quiser saber mais sobre o MERCOSUL, há muita informação útil no site do bloco, que consultei bastante em meus estudos: http://www.mercosul.gov.b; http://www.mercosur.int/.
A seguir, alguns livros que me indicaram, mas não li.
- A Construção da Europa (Antonio Carlos Lessa)
- A Nova Ordem Global: relações internacionais do século XX (Paulo Fagundes Vizentini): não o li, mas há diversos materiais sobre o livro disponíveis na Internet, caso queira dar uma olhada: http://educaterra.terra.com.bvizentini/
- Estocolmo, Rio, Joanesburgo: o Brasil e as três Conferências Ambientais das Nações Unidas (André A. C. do Lago) – disponível para download no “REL UnB”. Importante sobre o histórico de participação do Brasil nessas conferências, mas não tive tempo de ler. A grande limitação da obra é que os aspectos mais importantes da posição brasileira recente foram definidos após Joanesburgo. De todo modo, pode ser útil como apanhado histórico (importante para a primeira fase).
- Repertório de Política Externa (MRE): está disponível na Biblioteca virtual da FUNAG (http://www.funag.gov.beditoresolveUid/eaa9aea4398a55cd58d939764685cd22). Trata das diretrizes da política externa brasileira em relação a diversos temas. É necessário, obviamente, conferir, no Guia de Estudos, o que é importante para o concurso e o que não é. O livro é uma compilação de discursos referentes a temas de política externa proferidos por líderes brasileiros. Por essa razão, a leitura pode parecer chata e desinteressante para alguns. Não o li exatamente por isso, mas o incluo nessas recomendações para o caso de alguém se interessar por ele. Acho que há fontes mais práticas e que vão direto ao ponto quanto às questões mais importantes nas relações com determinados países e nos posicionamentos acerca de determinados temas (como os livros “Temas e Agendas”, citados acima, o “Balanço de Política Externa” e o “Resumo Executivo”, citados abaixo, e alguns artigos publicados na RBPI, no Mundialistas, no Mundorama e no Meridiano 47).
- The Globalization of World Politics (org. John Baisley): não o li, mas, segundo recomendações, é boa fonte de estudos, com bom desenvolvimento do tópico de teoria das Relações Internacionais.
- União Europeia: História e Geopolítica (Demétrio Magnoli)
- Coleç~o “O Livro na Rua”, da FUNAG – pequenos livros sobre diversos assuntos de política internacional. A coleção está disponível para download no “REL UnB”.

>> ATUALIDADES

Fique por dentro de todas as reuniões de que o Brasil participou recentemente (principalmente, no último ano antes da prova). Tratados assinados e ratificados, envolvimento do país nas organizações internacionais, evolução recente das organizações e dos grupos de países dos quais o Brasil faz parte (atenção especial para as integrações na América do Sul – destaque para o MERCOSUL e para a UNASUL – e para determinados grupos, como IBAS, BRICS, BASIC, G-20 comercial, G-20 financeiro etc.), participação do país na solução de conflitos (em operações de paz, em missões de assistência humanitária etc.), promoção de cooperação técnica etc. Conhecer como andam as relações entre o Brasil e os principais países para a política externa do país é, também, fundamental (conforme o Guia de Estudos, atenção para Argentina, América do Sul, EUA, União Europeia, França, Inglaterra, Alemanha, África, China, Japão, Índia, Rússia, Oriente Médio18) – não precisa decorar tudo, obviamente, mas ter uma ideia de como andam as relações com essas regiões é importante (“o comércio Brasil-China é superavitrio ou deficitrio para o Brasil?”, “qual é o maior parceiro comercial do Brasil na África?”, “quais as principais parcerias realizadas entre Brasil e África?”, esse tipo de coisa). Além disso, atenção à participação do Brasil nos grandes temas da agenda internacional (conforme o Guia de Estudos, atenção a: multilateralismo, desenvolvimento, combate à fome, meio ambiente, direitos humanos, comércio internacional, sistema financeirob internacional, desarmamento e não proliferação, terrorismo, narcotráfico, reforma da ONU, cooperação Sul-Sul). Por fim, é, ainda, necessário saber um pouco do que aconteceu de mais importante no cenário internacional, no último ano (especialmente, o que envolver o Brasil).
18 Esses dados podem ser encontrados no “Resumo Executivo” da política externa brasileira de 2003-2010, que será descrito mais à frente. Além disso, a página do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC - http://www.mdic.gov.bsitio/) também tem muita informação importante.
Eu sei que isso é muito geral e há muita coisa aí, mas é preciso atentar, especialmente, aos principais encontros e reuniões ocorridos e aos assuntos mais importantes para os principais temas da agenda internacional (principalmente os que envolvam o Brasil, ou os que sejam de grande relevância, como os conflitos no Oriente Médio, por exemplo). Enfim, pode parecer muita coisa (e, realmente, é bastante coisa), mas não é tanto quanto se imagina à primeira vista. Não sei se há alguma utilidade prática em ler coisas como o Almanaque Abril, por exemplo, talvez seja mais útil acompanhar alguns artigos da Revista Brasileira de Política Internacional (RBPI) ou de revistas como o Mundorama e o Meridiano 47. O “Resumo Executivo”, descrito abaixo, pode cobrir bem toda a parte de 2003 a 2010, e sua tarefa fica restrita ao que aconteceu de 2010 para cá, o que já é bom começo. Fique atento ao último volume da RBPI publicado antes da terceira fase do concurso que você for fazer, pois há boas chances de que algo relativo a essa temática seja cobrado (isso também vale para a prova de Direito da terceira fase, caso haja algum artigo sobre temas de Direito Internacional). Último conselho quanto a isso é: não é porque o concurso está próximo (ou, mesmo, porque a primeira fase já aconteceu) que você pode se desligar dos acontecimentos mundiais. Na prova da terceira fase de 2010, por exemplo, havia uma questão sobre a CELAC, criada em uma cúpula internacional de fevereiro daquele ano, quando até mesmo a segunda fase do concurso já havia ocorrido. Em 2011, o conflito na Líbia, ainda em curso quando da realização da prova, foi objeto de questão ampla sobre as consequências do confronto.
Para acompanhar as notícias internacionais, há diversas fontes, mas nem todas são muito úteis para o concurso. Se você quiser ler Foreign Policy e The Economist, por exemplo, para treinar o Inglês, acho que pode ser útil. Cuidado, apenas, para não se desligar muito dos estudos, entretidos sobre os resultados das eleições no Gabão (que, com certeza, não serão cobrados no concurso). Não acompanhei as notícias com muita frequência ou com um ritual rotineiro. Eu lia, de vem em quando, algumas notícias aqui e ali, uma entrevista, um vídeo no YouTube19 etc., mas nada muito detido ou aprofundado, eu nem tinha tempo para isso. Os fact sheets do Laboratório de Análise de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (LARI) podem ser ótima fonte de estudos para atualidades internacionais. Para quem é de Brasília, há encontros periódicos de discussão desses temas. Para ter acesso aos fact sheets e para ser informado das reuniões do LARI, você pode cadastrar-se no grupo Yahoo “LARI – UnB” (http://br.groups.yahoo.com/group/lari_unb/). Os fact sheets antigos estão disponíveis no arquivo do grupo.
Na página do MRE, muitos recomendam a seleção diária de notícias, mas parece que a página está com problemas ultimamente. Acho que a melhor fonte de “notícias” e de atualidades sobre a política externa brasileira para quem está estudando para o CACD está também no site do MRE: as Notas à Imprensa (http://www.itamaraty.gov.bsala-de-imprensa/notas-a-imprensa/view) e os discursos, artigos e entrevistas de autoridades governamentais sobre política externa (http://www.itamaraty.gov.bsala-de-imprensa/discursos-artigos-entrevistas-e-outras- comunicacoes/view). Na página das Notas à Imprensa, é possível fazer busca por tema (e.g. BRIC), que retorna as últimas comunicações referentes ao tema buscado, o que é ótima fonte de informação sobre as principais temáticas concernentes à atuação da política externa brasileira recente. Várias notícias e artigos interessantes são enviados para alguns grupos de emails do Yahoo, como “CACD IRBr” (http://br.groups.yahoo.com/group/cacdirb) e “Dilogo Diplomtico” (http://br.groups.yahoo.com/group/dialogodiplomatico/”). Cadastre-se!
Agora, a dica de ouro para estudar a política externa brasileira nos últimos anos. O MRE publicou, recentemente, o “Balanço de Política Externa – 2003-2010”. Eu até diria que valeria a pena selecionar os temas mais importantes e estudá-los, se o arquivo total não tivesse quase 900 páginas. Melhor que isso: h um “Resumo Executivo” (43 pginas), que é um resumo de praticamente tudo o que é preciso saber sobre evolução recente da política externa brasileira. É muita informação útil, e aconselho tirar as principais informações do texto (sempre de olho no Guia de Estudos) e montar tabelas, mapas mentais, resumos, qualquer coisa que ajude a gravar (principalmente para a terceira fase). Leia quantas vezes puder. Especialmente para o item “16. A agenda internacional e o Brasil” do Guia de Estudos, sugiro a leitura do próprio “Balanço de Política Externa” (somada a alguns aprofundamentos em temas específicos; faça uso dos artigos disponibilizados em algumas páginas especializados, como “RBPI”, “Mundialistas”, “Mundorama” e “Meridiano 47”, entre outros), uma vez que o “Resumo Executivo” é um pouco pobre nesses assuntos (atenção especial para as partes “Temas da Agenda”, “Segurança Alimentar”, “Reforma da Governança Global”, “Negociações Comerciais”, “Cooperação Internacional” e “Assistência Humanitria”). O “Resumo Executivo” est disponível para download no “REL UnB” (juntamente com o “Balanço de Política Externa”, tanto na vers~o completa quanto nas versões individuais de suas diversas partes).
19 Alguns canais do YouTube, como o da América Latina-Jazeera, têm boas reportagens sobre política internacional.
Juntando os quatro “livros sagrados” citados acima, o “Balanço de Política Externa”/“Resumo Executivo” e uma atualizaç~o quanto aos acontecimentos recentes, é bem provvel que boa parte das questões de Política Internacional do CACD (na primeira e na terceira fases) seja respondida. Obviamente, sempre haverá algo que vai ficar de fora, e apenas leituras adicionais de notícias e de atualidades e buscas pontuais em diversas fontes poderão ajudar. Sempre que há temas muito importantes para a política externa brasileira, alguém de prestígio costuma escrever um artigo a respeito (inclusive o próprio Ministro das Relações Exteriores). Além disso, os discursos sobre alguns temas específicos proferidos pelo Ministro, pelo Presidente da República ou pelo representante brasileiro em algum fórum multilateral, por exemplo, podem ser facilmente encontrados na internet. No site do MRE, as Notas à Imprensa de visitas oficiais, por exemplo, são, de modo geral, abrangentes e informativas. Mais uma vez, é necessário conferir, no Guia de Estudos, o que pode ser cobrado (tanto para relações bilaterais quanto para participação em organizações internacionais). Não precisa estudar a Nota à Imprensa de eventual visita do Ministro ao Sri Lanka e coisas do tipo. Acho que vale a pena acompanhar os últimos acontecimentos por esses meios. De todo modo, a bibliografia aqui descrita visa, apenas, a dar uma visão ampla acerca dos grandes temas cobrados nas provas. É preciso ter consciência de que, por mais preparado que você esteja, é muito provável que sejam cobradas algumas coisas que você não sabe na íntegra. Sabendo, pelo menos, algo mais geral, é possível tentar inferir as respostas corretas e aprofundar a discussão em diversos aspectos, e isso é, a meu ver, o mais importante no concurso.
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.05.22 12:35 diplohora Grupo Ubique - curso de PI com diplomata Romulo Neves_ CACD2020

Post original do Facebook
Detalhes sobre o Curso Preparatório de Política Internacional para o CACD 2020, que começa no próximo sábado, dia 23/05.
O curso foi elaborado para que você estude de maneira inteligente para o CACD e esteja habilitado a discorrer com segurança sobre os principais temas da agenda internacional, sem perder tempo selecionando temas e selecionando material relevante. Nós organizamos o conteúdo de maneira coerente e sintética para você.
Um dos objetivos do curso é o de ajudá-lo a superar aquela sensação de estar deixando algo para trás ou de se sentir afogado por tanta informação.
As aulas cobrirão os 30 principais temas da agenda internacional. Uma aula semanal, com dois temas, com duração de 2h a 2h30, para cobrir toda a agenda internacional contemporânea.
Por favor, leia atentamente as informações abaixo, sobre os detalhes do curso. Se não encontrar alguma informação relevante, não hesite em entrar em contato novamente pelo e-mail [email protected]
A matrícula estará disponível a partir de quarta-feira, dia 20/05, e poderá ser paga por meio de cartão de crédito ou Pay Pal na página do Grupo Ubique.
Como está organizado o curso? Quem é o professor? Qual é a frequência das aulas? Com funcionam as aulas? Com funciona o acesso às aulas? Quando começa o curso? Posso assistir à aula várias vezes? Por que é um curso específico de Política Internacional? Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h-1h15 de duração? Como devo assistir às aulas? Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Posso interromper o curso? Qual a duração do curso? Quanto custa o curso? Tem desconto de lançamento? Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Haverá biliografia complementar? Quais são os temas das aulas do curso?
Como está organizado o curso? São 16 aulas, uma por semana, cobrindo os 30 assuntos mais importantes da agenda internacional. As aulas sintetizam e estruturam os principais elementos de cada assunto, habilitando o aluno a responder questões de múltipla escolha, mas também, e principalmente, a discorrer com segurança em questões discursivas sobre os assuntos abordados. Além dos 30 principais temas da agenda internacional, haverá uma aula sobre o método de preparação e uma aula bônus, sobre as alterações nos fluxos do comércio global nos últimos 10 anos.
Quem é o professor? O professor Rômulo Neves é diplomata de carreira, há 15 anos, tendo servido na Venezuela, Suriname, Etiópia e, atualmente, no Paquistão. Fui ainda Chefe da Divisão da Sociedade da Informação e da Divisão de Oceania. Tem 14 anos de experiência docente, tendo lecionado nos curso de Sociologia na UnB; de Relações Internacionais no IESB, UDF e UniCeub e de Direito na Uniplac. É formado em Ciências Sociais, pela USP, com especialização em Economia e Relações Internacionais e mestrado em Sociologia, pela mesma universidade. É mestre em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, tendo ganhado o Prêmio Araújo Castro pela dissertação de Mestrado. Foi aluno do curso de doutorado em Sociologia, da UnB, tendo trancado em função de transferência ao exterior. Foi jornalista, cobrindo Economia, nos jornais Gazeta Mercantil e Folha de São Paulo.
Qual é a frequência das aulas? Uma aula semanal, cobrindo dois temas da agenda internacional.
Com funcionam as aulas? As aulas com duração de 2h a 2h30 estão estruturadas para dar ao aluno um completo panorama de cada tema, habilitando-o a compreender os principais elementos dos assuntos tratados e montar sua própria linha de raciocínio. Por essa abordagem, detalhes e informações complementares, que também aparecerão nas aulas, podem ser usados como ilustração dos pontos, mas não são o foco da preparação. Não se trata de um compêndio de detalhes, mas de compreender as chaves de compreensão dos temas. Cada aula apresenta os fatos relevantes para cada tema da agenda, os interesses subjacentes, as disputas em andamento e a estrutura dos principais problemas em cada um dos temas. As aulas foram estruturadas para que não seja necessário recorrer a material externo para que o estudante domine a estrutura do tema e possa elaborar um texto próprio sobre cada um dos temas tratados. As provas subjetivas do CACD não são testes de memória, mas uma avaliação sobre a sua capacidade de compreensão dos principais temas da agenda internacional e sua habilidade em elaborar um texto estruturado sobre esses temas. As aulas trabalham essa capacidade. Ao final de cada aula, é apresentada uma lista com os principais pontos tratados, para auxiliar o processo de fixação da estrutura. Os alunos poderão enviar questões por e-mail, logo depois da aula. As respostas às questões estruturais mais importantes e relevantes serão enviadas a toda a turma ao longo da semana seguinte. Espera-se que, se o candidato tem uma curiosidade pessoal específica sobre alguma questão pontual ou detalhes complementares, ele possa buscar a informação por meio de pesuisa própria. Recorda-se, porém, que o concurso cobre uma quantidade muito abrangente de disciplinas, e todo o tempo disponível deveria ser dedicado à preparação eficiente em todas elas. No caso da disciplina de Política Internacional Contemporânea, com pouquíssimas exceções, detalhes complementares não são relevantes para a preparação para as provas do CACD.
Com funciona o acesso às aulas? Depois de efetivada a matrícula, o aluno receberá uma senha para acessar a área do aluno na página do Grupo Ubique (www.grupoubique.com.br), onde suas aulas poderão ser acessadas.
Quando começa o curso? O curso começa no sábado, dia 23/05. A aula do sábado será ao vivo, mas quem não puder assistir a aula no sábado, poderá assistir a reprise que estará acessível da manhã da quarta-feira seguinte até a noite de sexta-feira, para acesso no horário mais conveniente do aluno. Quem adquirir o curso posteriormente, vai iniciar o curso a partir do momento da aquisição, com a disponibilização de uma aula por semana, na ordem dos outros alunos.
Posso assistir à aula várias vezes? Os alunos terão acesso uma vez à aula da semana em horário à sua escolha no período de quarta à sexta, posterior à aula ao vivo no sábado. Os alunos que assistirem à aula ao vivo, terão acesso mais uma vez no período citado. Os alunos que optarem por assistirem no período de quarta à sexta, terão acesso apenas uma vez à aula. Durante o acesso, é possível pausar e voltar a apresentação quantas vezes quiser, mas uma vez desconectado, não haverá a possibilidade de novo acesso. Esse formato foi definido em razão de 3 fatores: i) o curso foi desenvolvido para você economizar tempo e estudar de maneira eficiente. Não é esperado que você decore o conteúdo, mas que consiga, a partir de suas anotações desenvolver sua própria narrativa sobre o ponto, incluir o conhecimento em seu repertório, num formato que faça sentido para você; ii) não é desejável que o aluno fique assitindo várias vezes o mesmo conteúdo, levando em consideração a quantidade de material a ser estudado para o concurso e; iii) infelizmente, o compartilhamento e a pirataria de material didático é uma constante no ambiente dos concursos. Mesmo matendo o preço o mais acessível possível, o risco de compartilhamento indevido de material é muito alto, mesmo que a prática seja desonesta e pouco inteligente, já que aumenta artificialmente a vantagem dos concorrentes (o termo de uso assinado no momento da matrícula citará o impedimento de reprodução). Assim, como uma aula presencial, o aluno terá acesso uma vez ao conteúdo, com exceção daqueles que assistirem à aula ao vivo no sábado. Mas todos os alunos que participarem do curso vão ter acesso uma vez mais a todas as aulas do curso, ao final das aulas. Assim, uma última revisão de algum tema específico será possível para todos os alunos.
Por que é um curso específico de Política Internacional? Porque se trata da disciplina mais trabalhosa para o candidato selecionar o material relevante e organizar seus estudos. Muitas vezes os estudantes perdem mais tempo garimpando material do que propriamente estudando. Como a disciplina é formada por pontos nos quais os 2 ou 3 anos anteriores podem ser cruciais, não há biliografia atualizada para cobrir todos os pontos essenciais de cada tema. Assim, o acompanhamento do material publicado na imprensa é essencial. E seguirá sendo. O curso, entretanto, vai habilitar o candidato a identificar rapidamente o que é relevante no material publicado na imprensa em cada tema, bem como agregar eventuais novas informações a uma análise estruturada, que estará habilitado a realizar a partir do curso. Em suma, o estudante não apenas estará preparado para discorrer sobre os temas estudados em qualquer circunstância, como também a economizar tempo, identificando o que é e o que não é relevante no material publicado na imprensa em cada tema. O curso é indicado para todos os estudantes que queiram economizar tempo para cobrir a bibliografia das outras disciplinas cobradas no concurso. Para as outras disciplinas, a bibliografia contida nos editais cobre bem o conteúdo.
Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h a 1h15 de duração? As provas discursivas nos concursos públicos não são compostas de perguntas que avaliam apenas o conteúdo da disciplina, mas a capacidade de articulação e expressão dos candidatos. Assim, tão ou mais importante do que conhecer todos os detalhes de determinado assunto, é crucial identificar quais são os principais pontos de inflexão e como é possível interligar os diferentes assuntos da agenda internacional. Aulas expositivas de 3h ou 4h geralmente se perdem em detalhes que podem parecer centrais, mas são apenas acessórios e prejudicam a preparação do candidato, roubando foco e tempo. O objetivo é habilitar o candidato a articular os temas, discorrer sobre os principais aspectos que conformam aquela agenda e não a escrever um compêndio de detalhes. Lembre-se, você fará provas de outras disciplinas cuja natureza - de conteúdo estruturado em livros texto - é mais própria ao tratamento do detalhe do detalhe do que a prova de Política Internacional. É improvável que as questões de uma prova discursiva de Política Internacional se limitem a detalhes de aspectos secundários. O foco deve ser a compreensão da agenda, dos principais interesses em jogo e dos pontos de transição e inflexão. Fatos pitorescos podem ser um adendo interessante, mas dificilmente serão o cerne de uma resposta bem avaliada nessas provas. Assim, o foco do curso é na compreensão da estrutura dos assuntos, onde os pontos de inflexão servem para o encadeamento da análise e não como curiosidades secundárias. Obviamente, informações complementares estarão presentes nas aulas, mas como ilustração da estrutura do tema e não como a estrutura em si. Quanto mais claro estiverem os conceitos centrais, mais o estudante pode compreender a função de informações complementares na estutura de sua resposta. As aulas são relativamente curtas exatamente para ajudá-lo a controlar e aproveitar melhor o seu tempo. Não se perca no planejamento.
Como devo assistir às aulas? As aulas estão estruturadas com a apresentação de um conjunto de eventos e informações que se interligam e se conectam para uma compreensão da agenda de maneira integral. Assim, espera-se que o estudante: i) separe o tempo para assistir à aula de maneira integral, evitando interrupções ou distrações durante a aula. ii) tome notas dos principais temas apresentados. A tomada de notas estrutura o tema a partir de sua percepção. As notas fixam em sua memória o encadeamento e o desenvolvimento dos fatos. Não se trata de reescrever a totalidade da aula, mas de anotar os principais conceitos e tópicos para fixação e recuperação futura. iii) posteriormente, releia suas anotações e escreva um texto de três laudas sobre a sua compreensão sobre o tema. Este texto é a base de sua compreensão daquele tema da agenda. É o conteúdo que fará parte permanentemente de seu repertório. Em qualquer questão da prova que trate daquela temática, esses elementos poderão ser usados, com pequenas variações de ênfase, para estruturar sua resposta.
Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As principais perguntas do conjunto de estudantes, de elementos estruturais dos temas tratados nas aulas, recebidas por e-mail, serão respondidas antes da próxima aula e serão disponibilizadas em área específica no site do Grupo Ubique. Além disso, o estudante terá direito a submeter um de seus textos a cada 4 semanas para correção e comentários da equipe do Ubique.
As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Nos temas em que for relevante, serão tratadas as posições internacionais do Brasil em relação ao tema. Na maioria dos temas, será apresentada de maneira sintética como aquele tema afeta o Brasil e seus interesses.
Posso interromper o curso? Caso tenha algum problema que o impeça de seguir o calendário de aulas, é necessário que informe por e-mail sobre a impossibilidade de seguir o calendário e solicite a suspensão da disponibilização das aulas. Para retomar a disponibilização, será preciso enviar um novo e-mail. O curso será retomado no ponto onde foi suspenso.
Qual a duração do curso? O curso terá duração de 16 semanas, a fim de habilitar os candidatos a participarem da 3.a fase do CACD 2020 tendo assistido a todas as aulas.
Quanto custa o curso? O curso custará R$ 1.200,00, com duração total de 4 meses, ou seja R$ 300 por mês. O pagamento poderá ser feito por meio de cartão de crédito ou Pay Pal.
Tem desconto de lançamento? Sim. Para os alunos que contratarem o curso até 22/05, há um desconto de 10%, o que resultado no custo total de R$ 1.080,00, ou seja R$ 270,00 por mês
Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Alunos do curso de Política Internacional terão direito a i) uma correção por mês de um texto de um tema, à escolha do candidato; ii) desconto de 40% na primeira compra dos serviços de correção do Ubique de textos e redações; iii) uma aula de mentoria para preparação do concurso, com o Prof. Marcílio Falcão, do Ubique; iv) 30% de desconto na correção do simulado de prova de PI a sere realizado pelo Ubique, no final do curso. Os candidatos inscritos no curso também receberão 2 aulas bônus: uma no início do curso, com dicas sobre como estudar Política Internacional, e outra no final do curso sobre Alterações no Fluxo Global de Comércio nos últimos 10 anos.
Haverá bibliografia complementar? O objetivo do curso é economizar o tempo do candidato. O curso parte da avaliação que a bibliografia existente não dá conta dos temas a serem estudados, pois precisariam obrigatoriamente ser complementada com muito material estruturado da imprensa, então não faz sentido indicar bibliografia que, por ser incompleta, não resolve o problema do candidato e, ainda toma tempo de preparação para outras disciplinas cujo material sim está organizado numa bibliografia de referência. Cada candidato poderá, caso seja de seu interesse, se aprofundar em determinado tema, mas o objetivo do curso é preparar os alunos para estruturar as grandes linhas dos principais temas da agenda internacional e não discorrer sobre os detalhes complementares de cada um desses temas. Em suma, o curso não seguirá nenhuma bibliografia de referência, porque já é a síntese de extensa bibliografia, complementada pela estruturação do material publicado na imprensa internacional, cuja leitura integral neste momento não é produtiva para a preparação do aluno.
Quais são os temas das aulas do curso? A lista com os 30 principais temas da agenda internacional, que serão tratados nas aulas, será enviada para os alunos no momento de sua matrícula. A lista é extensiva e almeja cobrir todos os principais pontos da agenda internacional. A própria lista é um plano de estudos detalhado, que ajudará o candidato a se sentir seguro e preparado para a prova de Política Internacional Contemporânea
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.05.22 12:33 diplohora Curso de PI com Romulo Neves -Grupo Ubique (2020)

Post original no Facebook
Detalhes sobre o Curso Preparatório de Política Internacional para o CACD 2020, que começa no próximo sábado, dia 23/05.
O curso foi elaborado para que você estude de maneira inteligente para o CACD e esteja habilitado a discorrer com segurança sobre os principais temas da agenda internacional, sem perder tempo selecionando temas e selecionando material relevante. Nós organizamos o conteúdo de maneira coerente e sintética para você.
Um dos objetivos do curso é o de ajudá-lo a superar aquela sensação de estar deixando algo para trás ou de se sentir afogado por tanta informação.
As aulas cobrirão os 30 principais temas da agenda internacional. Uma aula semanal, com dois temas, com duração de 2h a 2h30, para cobrir toda a agenda internacional contemporânea.
Por favor, leia atentamente as informações abaixo, sobre os detalhes do curso. Se não encontrar alguma informação relevante, não hesite em entrar em contato novamente pelo e-mail [email protected]
A matrícula estará disponível a partir de quarta-feira, dia 20/05, e poderá ser paga por meio de cartão de crédito ou Pay Pal na página do Grupo Ubique.
Como está organizado o curso? Quem é o professor? Qual é a frequência das aulas? Com funcionam as aulas? Com funciona o acesso às aulas? Quando começa o curso? Posso assistir à aula várias vezes? Por que é um curso específico de Política Internacional? Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h-1h15 de duração? Como devo assistir às aulas? Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Posso interromper o curso? Qual a duração do curso? Quanto custa o curso? Tem desconto de lançamento? Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Haverá biliografia complementar? Quais são os temas das aulas do curso?
Como está organizado o curso? São 16 aulas, uma por semana, cobrindo os 30 assuntos mais importantes da agenda internacional. As aulas sintetizam e estruturam os principais elementos de cada assunto, habilitando o aluno a responder questões de múltipla escolha, mas também, e principalmente, a discorrer com segurança em questões discursivas sobre os assuntos abordados. Além dos 30 principais temas da agenda internacional, haverá uma aula sobre o método de preparação e uma aula bônus, sobre as alterações nos fluxos do comércio global nos últimos 10 anos.
Quem é o professor? O professor Rômulo Neves é diplomata de carreira, há 15 anos, tendo servido na Venezuela, Suriname, Etiópia e, atualmente, no Paquistão. Fui ainda Chefe da Divisão da Sociedade da Informação e da Divisão de Oceania. Tem 14 anos de experiência docente, tendo lecionado nos curso de Sociologia na UnB; de Relações Internacionais no IESB, UDF e UniCeub e de Direito na Uniplac. É formado em Ciências Sociais, pela USP, com especialização em Economia e Relações Internacionais e mestrado em Sociologia, pela mesma universidade. É mestre em Diplomacia pelo Instituto Rio Branco, tendo ganhado o Prêmio Araújo Castro pela dissertação de Mestrado. Foi aluno do curso de doutorado em Sociologia, da UnB, tendo trancado em função de transferência ao exterior. Foi jornalista, cobrindo Economia, nos jornais Gazeta Mercantil e Folha de São Paulo.
Qual é a frequência das aulas? Uma aula semanal, cobrindo dois temas da agenda internacional.
Com funcionam as aulas? As aulas com duração de 2h a 2h30 estão estruturadas para dar ao aluno um completo panorama de cada tema, habilitando-o a compreender os principais elementos dos assuntos tratados e montar sua própria linha de raciocínio. Por essa abordagem, detalhes e informações complementares, que também aparecerão nas aulas, podem ser usados como ilustração dos pontos, mas não são o foco da preparação. Não se trata de um compêndio de detalhes, mas de compreender as chaves de compreensão dos temas. Cada aula apresenta os fatos relevantes para cada tema da agenda, os interesses subjacentes, as disputas em andamento e a estrutura dos principais problemas em cada um dos temas. As aulas foram estruturadas para que não seja necessário recorrer a material externo para que o estudante domine a estrutura do tema e possa elaborar um texto próprio sobre cada um dos temas tratados. As provas subjetivas do CACD não são testes de memória, mas uma avaliação sobre a sua capacidade de compreensão dos principais temas da agenda internacional e sua habilidade em elaborar um texto estruturado sobre esses temas. As aulas trabalham essa capacidade. Ao final de cada aula, é apresentada uma lista com os principais pontos tratados, para auxiliar o processo de fixação da estrutura. Os alunos poderão enviar questões por e-mail, logo depois da aula. As respostas às questões estruturais mais importantes e relevantes serão enviadas a toda a turma ao longo da semana seguinte. Espera-se que, se o candidato tem uma curiosidade pessoal específica sobre alguma questão pontual ou detalhes complementares, ele possa buscar a informação por meio de pesuisa própria. Recorda-se, porém, que o concurso cobre uma quantidade muito abrangente de disciplinas, e todo o tempo disponível deveria ser dedicado à preparação eficiente em todas elas. No caso da disciplina de Política Internacional Contemporânea, com pouquíssimas exceções, detalhes complementares não são relevantes para a preparação para as provas do CACD.
Com funciona o acesso às aulas? Depois de efetivada a matrícula, o aluno receberá uma senha para acessar a área do aluno na página do Grupo Ubique (www.grupoubique.com.br), onde suas aulas poderão ser acessadas.
Quando começa o curso? O curso começa no sábado, dia 23/05. A aula do sábado será ao vivo, mas quem não puder assistir a aula no sábado, poderá assistir a reprise que estará acessível da manhã da quarta-feira seguinte até a noite de sexta-feira, para acesso no horário mais conveniente do aluno. Quem adquirir o curso posteriormente, vai iniciar o curso a partir do momento da aquisição, com a disponibilização de uma aula por semana, na ordem dos outros alunos.
Posso assistir à aula várias vezes? Os alunos terão acesso uma vez à aula da semana em horário à sua escolha no período de quarta à sexta, posterior à aula ao vivo no sábado. Os alunos que assistirem à aula ao vivo, terão acesso mais uma vez no período citado. Os alunos que optarem por assistirem no período de quarta à sexta, terão acesso apenas uma vez à aula. Durante o acesso, é possível pausar e voltar a apresentação quantas vezes quiser, mas uma vez desconectado, não haverá a possibilidade de novo acesso. Esse formato foi definido em razão de 3 fatores: i) o curso foi desenvolvido para você economizar tempo e estudar de maneira eficiente. Não é esperado que você decore o conteúdo, mas que consiga, a partir de suas anotações desenvolver sua própria narrativa sobre o ponto, incluir o conhecimento em seu repertório, num formato que faça sentido para você; ii) não é desejável que o aluno fique assitindo várias vezes o mesmo conteúdo, levando em consideração a quantidade de material a ser estudado para o concurso e; iii) infelizmente, o compartilhamento e a pirataria de material didático é uma constante no ambiente dos concursos. Mesmo matendo o preço o mais acessível possível, o risco de compartilhamento indevido de material é muito alto, mesmo que a prática seja desonesta e pouco inteligente, já que aumenta artificialmente a vantagem dos concorrentes (o termo de uso assinado no momento da matrícula citará o impedimento de reprodução). Assim, como uma aula presencial, o aluno terá acesso uma vez ao conteúdo, com exceção daqueles que assistirem à aula ao vivo no sábado. Mas todos os alunos que participarem do curso vão ter acesso uma vez mais a todas as aulas do curso, ao final das aulas. Assim, uma última revisão de algum tema específico será possível para todos os alunos.
Por que é um curso específico de Política Internacional? Porque se trata da disciplina mais trabalhosa para o candidato selecionar o material relevante e organizar seus estudos. Muitas vezes os estudantes perdem mais tempo garimpando material do que propriamente estudando. Como a disciplina é formada por pontos nos quais os 2 ou 3 anos anteriores podem ser cruciais, não há biliografia atualizada para cobrir todos os pontos essenciais de cada tema. Assim, o acompanhamento do material publicado na imprensa é essencial. E seguirá sendo. O curso, entretanto, vai habilitar o candidato a identificar rapidamente o que é relevante no material publicado na imprensa em cada tema, bem como agregar eventuais novas informações a uma análise estruturada, que estará habilitado a realizar a partir do curso. Em suma, o estudante não apenas estará preparado para discorrer sobre os temas estudados em qualquer circunstância, como também a economizar tempo, identificando o que é e o que não é relevante no material publicado na imprensa em cada tema. O curso é indicado para todos os estudantes que queiram economizar tempo para cobrir a bibliografia das outras disciplinas cobradas no concurso. Para as outras disciplinas, a bibliografia contida nos editais cobre bem o conteúdo.
Por que as aulas sobre cada tema têm apenas 1h a 1h15 de duração? As provas discursivas nos concursos públicos não são compostas de perguntas que avaliam apenas o conteúdo da disciplina, mas a capacidade de articulação e expressão dos candidatos. Assim, tão ou mais importante do que conhecer todos os detalhes de determinado assunto, é crucial identificar quais são os principais pontos de inflexão e como é possível interligar os diferentes assuntos da agenda internacional. Aulas expositivas de 3h ou 4h geralmente se perdem em detalhes que podem parecer centrais, mas são apenas acessórios e prejudicam a preparação do candidato, roubando foco e tempo. O objetivo é habilitar o candidato a articular os temas, discorrer sobre os principais aspectos que conformam aquela agenda e não a escrever um compêndio de detalhes. Lembre-se, você fará provas de outras disciplinas cuja natureza - de conteúdo estruturado em livros texto - é mais própria ao tratamento do detalhe do detalhe do que a prova de Política Internacional. É improvável que as questões de uma prova discursiva de Política Internacional se limitem a detalhes de aspectos secundários. O foco deve ser a compreensão da agenda, dos principais interesses em jogo e dos pontos de transição e inflexão. Fatos pitorescos podem ser um adendo interessante, mas dificilmente serão o cerne de uma resposta bem avaliada nessas provas. Assim, o foco do curso é na compreensão da estrutura dos assuntos, onde os pontos de inflexão servem para o encadeamento da análise e não como curiosidades secundárias. Obviamente, informações complementares estarão presentes nas aulas, mas como ilustração da estrutura do tema e não como a estrutura em si. Quanto mais claro estiverem os conceitos centrais, mais o estudante pode compreender a função de informações complementares na estutura de sua resposta. As aulas são relativamente curtas exatamente para ajudá-lo a controlar e aproveitar melhor o seu tempo. Não se perca no planejamento.
Como devo assistir às aulas? As aulas estão estruturadas com a apresentação de um conjunto de eventos e informações que se interligam e se conectam para uma compreensão da agenda de maneira integral. Assim, espera-se que o estudante: i) separe o tempo para assistir à aula de maneira integral, evitando interrupções ou distrações durante a aula. ii) tome notas dos principais temas apresentados. A tomada de notas estrutura o tema a partir de sua percepção. As notas fixam em sua memória o encadeamento e o desenvolvimento dos fatos. Não se trata de reescrever a totalidade da aula, mas de anotar os principais conceitos e tópicos para fixação e recuperação futura. iii) posteriormente, releia suas anotações e escreva um texto de três laudas sobre a sua compreensão sobre o tema. Este texto é a base de sua compreensão daquele tema da agenda. É o conteúdo que fará parte permanentemente de seu repertório. Em qualquer questão da prova que trate daquela temática, esses elementos poderão ser usados, com pequenas variações de ênfase, para estruturar sua resposta.
Além das aulas, haverá alguma outra interação com o professor? As principais perguntas do conjunto de estudantes, de elementos estruturais dos temas tratados nas aulas, recebidas por e-mail, serão respondidas antes da próxima aula e serão disponibilizadas em área específica no site do Grupo Ubique. Além disso, o estudante terá direito a submeter um de seus textos a cada 4 semanas para correção e comentários da equipe do Ubique.
As aulas tratarão dos temas em relação ao Brasil? Nos temas em que for relevante, serão tratadas as posições internacionais do Brasil em relação ao tema. Na maioria dos temas, será apresentada de maneira sintética como aquele tema afeta o Brasil e seus interesses.
Posso interromper o curso? Caso tenha algum problema que o impeça de seguir o calendário de aulas, é necessário que informe por e-mail sobre a impossibilidade de seguir o calendário e solicite a suspensão da disponibilização das aulas. Para retomar a disponibilização, será preciso enviar um novo e-mail. O curso será retomado no ponto onde foi suspenso.
Qual a duração do curso? O curso terá duração de 16 semanas, a fim de habilitar os candidatos a participarem da 3.a fase do CACD 2020 tendo assistido a todas as aulas.
Quanto custa o curso? O curso custará R$ 1.200,00, com duração total de 4 meses, ou seja R$ 300 por mês. O pagamento poderá ser feito por meio de cartão de crédito ou Pay Pal.
Tem desconto de lançamento? Sim. Para os alunos que contratarem o curso até 22/05, há um desconto de 10%, o que resultado no custo total de R$ 1.080,00, ou seja R$ 270,00 por mês
Que recursos complementares terei acesso como aluno do curso de Política Internacional? Alunos do curso de Política Internacional terão direito a i) uma correção por mês de um texto de um tema, à escolha do candidato; ii) desconto de 40% na primeira compra dos serviços de correção do Ubique de textos e redações; iii) uma aula de mentoria para preparação do concurso, com o Prof. Marcílio Falcão, do Ubique; iv) 30% de desconto na correção do simulado de prova de PI a sere realizado pelo Ubique, no final do curso. Os candidatos inscritos no curso também receberão 2 aulas bônus: uma no início do curso, com dicas sobre como estudar Política Internacional, e outra no final do curso sobre Alterações no Fluxo Global de Comércio nos últimos 10 anos.
Haverá bibliografia complementar? O objetivo do curso é economizar o tempo do candidato. O curso parte da avaliação que a bibliografia existente não dá conta dos temas a serem estudados, pois precisariam obrigatoriamente ser complementada com muito material estruturado da imprensa, então não faz sentido indicar bibliografia que, por ser incompleta, não resolve o problema do candidato e, ainda toma tempo de preparação para outras disciplinas cujo material sim está organizado numa bibliografia de referência. Cada candidato poderá, caso seja de seu interesse, se aprofundar em determinado tema, mas o objetivo do curso é preparar os alunos para estruturar as grandes linhas dos principais temas da agenda internacional e não discorrer sobre os detalhes complementares de cada um desses temas. Em suma, o curso não seguirá nenhuma bibliografia de referência, porque já é a síntese de extensa bibliografia, complementada pela estruturação do material publicado na imprensa internacional, cuja leitura integral neste momento não é produtiva para a preparação do aluno.
Quais são os temas das aulas do curso? A lista com os 30 principais temas da agenda internacional, que serão tratados nas aulas, será enviada para os alunos no momento de sua matrícula. A lista é extensiva e almeja cobrir todos os principais pontos da agenda internacional. A própria lista é um plano de estudos detalhado, que ajudará o candidato a se sentir seguro e preparado para a prova de Política Internacional Contemporânea.
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.02.20 14:25 ebookrevenda O que fazer para aumentar o tráfego do meu website em 2020?

O que fazer para aumentar o tráfego do meu website em 2020?
https://preview.redd.it/q3zjyimhy2i41.png?width=795&format=png&auto=webp&s=f6c37387b509177e8ba3e41a9aa359046cc65f5d
Hoje existe uma diversidade de formas de se divulgar seu site Produto ou serviço na internet, existem boas ferramentas e também ferramentas que não são tão boas, Vou citar um software que pode te ajudar e muito com esse trabalho de divulgação e que vai te fazer ter centenas mais de visitas diárias, além de ajudar no posicionamento de seu site nos buscadores como o Google, Bing, Yahoo buscas.
Sem dúvida alguma a forma de se aumentar o tráfego do seu site é divulgando, quanto mais você fizer isso mais tráfego você vai conseguir levar até seu site, você pode divulgar em redes sociais, pode divulgar em sites de classificados grátis “ Minha opção preferida”, pode fazer comentários em outros sites ou grupos de discussão, entre outras diversas formas.
Existem softwares de automação que podem te ajudar muito com isso, o exemplo que vou citar é de um software chamado (PCG programa classificados grátis), veja abaixo mais detalhes

https://preview.redd.it/hbmkqp8iy2i41.png?width=2560&format=png&auto=webp&s=79d44bfe781f377e195194187bc07d4eefc1b8d9

PARA QUE SERVE O SOFTWARE PCG PROGRAMA CLASSIFICADOS GRÁTIS

A função desse programa é automatizar o trabalho de fazer anúncios em sites de classificados grátis, O programa tem uma lista contendo mais de 250 sites de classificados grátis, O programa faz a automação do preenchimento dos Campos de cada site e você vai apenas confirmando os anúncios, enquanto manualmente você faz uma média de 20 anúncios em 20 sites por dia usando o programa você consegue fazer mais de 250 anúncios em 250 sites diferentes Isso facilita muito o trabalho além é lógico da grande quantidade de anúncios que você vai fazer em um dia, imagina o seu anúncio em mais de 250 sites, “se você não tiver resultados vai ter que reavaliar o seu produto ou site”.

https://preview.redd.it/7hszn11jy2i41.png?width=650&format=png&auto=webp&s=dafaa5c77ad0f8e285768d7a4d1345739b5ada09
Uma das grandes vantagens de se usar este programa é que além do tráfego gerado pelos próprios sites de classificados, será gerado tráfego também dos buscadores assim como o Google que irão indexar o título do seu anúncio feito, sempre que alguém fizer uma pesquisa por um título semelhante ao que você anunciou certamente essas pessoas irão encontrar o seu anúncio dessa forma é gerado para você o tráfego orgânico que em muitos casos pode ser até maior que o tráfego dos próprios sites de classificados.
Vale muito a pena dar uma olhada no software, no site você pode fazer um teste grátis do programa, tem vídeos de clientes que usam o programa e tiveram grande sucesso, tem vídeos mostrando os resultados proporcionados pelo programa, e quanto ao pagamento você pode parcelar o pagar com boleto ou como achar mais adequado.
Citando que o programa também tem um sistema de revenda onde você pode ganhar um extra indicando o programa para outras pessoas, eles pagam 40 por cada indicação que você fizer para outra pessoa, oferece em painel de controle para você divulgar, você tem total controle sobre suas divulgações e acessos à seu link divulgado…

https://preview.redd.it/vcemueojy2i41.png?width=2560&format=png&auto=webp&s=e6671d22d8604aec92e1e486c9ff2f4f2e88cba9

MUITAS FORMAS DE OBTER TRÁFEGO ORGÂNICO

É claro que existem várias outras formas de se obter tráfego orgânico, a que estou citando anteriormente é porque eu utilizo atualmente e tem gerado um excelente resultado, bem mais elevado que outras ferramentas que já usei, e também pelo fato que gosto muito de trabalhar com o tráfego orgânico e essa ferramenta me proporcionar isso, não gosto de depender apenas do tráfego pago gerado pelas grandes empresas que no final das contas nem sei se Estão realmente me disponibilizando este tráfego de forma real.

https://preview.redd.it/9o3mkqhky2i41.png?width=534&format=png&auto=webp&s=58d528dd78e9f28fdb8f7779ab54ffa6c3ff34b7
Fazendo simples pesquisas você vai ver que pode encontrar várias outras formas de divulgação, como redes sociais e muitas outras que também podem te gerar muitas visitas, existem também vários outros softwares de automação que você pode usar para automatizar esse trabalho, se quiser uma pesquisa por: (PROGRAMADIVULGARSITE PORTFOLIO) você vai encontrar um site que tem vários programas de automação de marketing, Eu particularmente utilizo todos eles e cada um tem a sua função bem definida que pode gerar para você várias visitas todos os dias e o melhor de forma automática bastante deixar o seu computador ligado trabalhando sem que você tenha que fazer nada, no final do dia essa é a diferença, uma hora de trabalho realizado por um software pode ser a diferença entre fazer ou não uma venda de seu produto ou serviço.

https://preview.redd.it/9wlcii0ly2i41.png?width=2560&format=png&auto=webp&s=5b173a3a18ea00c30bbfcafa994d9eb08ef1548c
Espero ter respondido De forma adequada a sua pergunta, Fico imensamente agradecido caso possa me dar um voto positivo a essa resposta, muito mais ainda caso você consiga compartilhar essa resposta em alguma outra rede. “por favor ;)”, caso tenha alguma dúvida sobre as ferramentas que se tem ou alguma outra dúvida qualquer relacionada a sua pergunta Fique à vontade para comentar ou me enviar outra pergunta, abraços e até uma próxima oportunidade.
Arquivada em:
http://onlinerenda.com.bblog/o_que_fazer_para_aumentar_o_trafego_do_meu_website_em_2020.html
submitted by ebookrevenda to MarketingDigitalBR [link] [comments]


2020.02.05 14:12 ebookrevenda Qual é a melhor maneira de aparecer nas buscas e no topo do Ranking do Google?

Qual é a melhor maneira de aparecer nas buscas e no topo do Ranking do Google?

https://preview.redd.it/mvyjapmku3f41.png?width=567&format=png&auto=webp&s=1798a27a39365318a134eb74800285ad561b666d
Existem basicamente duas técnicas que você pode aplicar para que o seu site apareça nas buscas do Google e se posicione entre os primeiros resultados, a primeira delas é a utilização de sua página ou SEO que significa Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca), Já a segunda técnica é voltada para a divulgação pois de forma alguma o seu site vai aparecer em mecanismos de buscas tanto o Google ou qualquer outro caso você não o divulgue.
Quanto a primeira técnica que citei referente a SEO ela é mais voltada para o pessoal da programação pois você deve trabalhar o código fonte do seu site, não é uma tarefa tão complicada e existem ferramentas que ajudam você nesse trabalho de otimização, até mesmo o Google tem uma ferramenta que pode auxiliar no trabalho de otimização do seu site indicando o que está certo ou o que está errado, no momento não me lembro do nome mas se fizer uma breve pesquisa creio que vai encontrar facilmente.
Quantas segunda técnica referente a divulgação posso dar algumas dicas, vamos lá:

https://preview.redd.it/kbpltfclu3f41.png?width=1033&format=png&auto=webp&s=a96ca640be7f7766da0bdab7b12f0613cdbe6b8e

https://preview.redd.it/s6vkwhvlu3f41.png?width=2692&format=png&auto=webp&s=f1a0a911a689846c38597a325ed846ad9f516f14
O marketing é algo fundamental na internet e sem ele você não vai a lugar algum, então caso você não faça marketing pode começar a partir de hoje pois se não os resultados não vão aparecer mesmo.
Existe uma vastidão de sites, redes sociais, e outras plataformas onde você pode divulgar a sua empresa produto ou serviço para que outras pessoas tenham acesso à ela, Isso é algo fundamental para que o seu site Produto ou serviço possa aparecer nas buscas, tanto de sites como o Google como de outros buscadores Como por exemplo o Yahoo buscas, Bing, entre outros buscadores, todos eles vão te encontrar apenas caso você tem alguma referência na internet, algum link divulgado em algum outro site.
Resumidamente o que acontece é que, quando você faz determinado anúncio em outros sites ou simplesmente deixa o link de seu site em outro site, os mecanismos de busca encontram esse link a partir do outro site e vão indexando o seu site nas buscas, quanto mais lindo se você tiver espalhado pela internet melhora o posicionamento do seu site, logicamente levando em conta as questões de SEO citadas anteriormente.
Existem ferramentas que podem impulsionar essa divulgação e essa capacidade de espalhar o seu link por outros sites, Vamos à uma delas:

https://preview.redd.it/7cb4zqlmu3f41.png?width=1033&format=png&auto=webp&s=13af4b360ebd26a7409d5f357ba0b62b1903da90

SOFTWARE PARA FAZER SEU SITE APARECER NAS BUSCAS


https://preview.redd.it/gc08p68nu3f41.png?width=654&format=png&auto=webp&s=bc2ca3beacd1308ffe3526c0f6dc429ad78dbdd0
Você pode se aproveitar de algumas ferramentas para garantir que seu site apareça nas buscas, Na verdade a ferramenta que irei citar é um software de automação que serve para fazer anúncios em sites de classificados grátis, o software é conhecido como (PCG programa classificados grátis) esse software tem cadastrado em sua base de dados mais de 250 sites de classificados grátis, usando o programa você pode fazer anúncios automaticamente nesses sites, programa automatiza todo o trabalho de preenchimento do site e você vai apenas confirmando seus anúncios, isso te traz um grande ganho de tempo com divulgação pois fazer essas tarefas manualmente em algo bem árduo.
Fazendo uma breve pesquisa no Google pelo nome do software (PCG programa classificados grátis) você vai encontrar o site, Inclusive essa ferramenta tem um sistema de revenda que você pode se cadastrar E participar, ganhando R$40,00 por cada indicação do software que fizer a outra pessoa que esteja interessada em adquirir, então dá para tirar um extra com essa ferramenta, Alem logicamente de posicionar o seu site no topo das buscas com maior facilidade do que fazer isso manualmente.

https://preview.redd.it/8wuxaiwnu3f41.png?width=1033&format=png&auto=webp&s=eae9521a2198245fd74cbbad6a18066454287504

EXISTEM OUTRAS FORMAS DE SE DIVULGAR PARA APARECER NO GOOGLE


https://preview.redd.it/ftnzi6fou3f41.png?width=620&format=png&auto=webp&s=2a565353a76aeb8a97383b6fecbed51b1f719e55
Com Total certeza e sem dúvida alguma existem centenas de formas de fazer divulgação para aparecer nas buscas do Google, de certa forma qualquer divulgação que você faça em outro site está sujeita a ser encontrada pelos buscadores E com isso eles vão passar a indexar os resultados e certamente colocar o seu site nas buscas, a questão do posicionamento Na verdade está mais relacionada a quanto você divulgou o seu site, se você já o divulgou bastante e com isso consequentemente ao tempo que você tem esse site, número de visitas que ele recebe, tempo que as pessoas ficam no site quando visitam, ETC… tudo isso conta....
Falando mais sobre outras formas de se divulgar, você pode divulgar em redes sociais como o Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter, sites de grupo que na verdade são uma excelente forma de receber visitas qualificadas, entre outras formas mais.
As principais técnicas que gosto de usar são relacionadas a software de automação pois com esse tipo de ferramenta você não precisa ficar realizando tarefas rotineiras durante todo o dia, basta encontrar um software que faça o seu trabalho e configurá-lo para fazer isso, assim como o programa que citei antes, existem vários outros programas para divulgação, tanto em redes sociais quanto para outras redes, pesquise por “ programadivulgarsite portfólio” e você vai encontrar um site com alguns softwares de automação, Que você pode usar para automatizar tarefas rotineiras de divulgação, além Do posicionamento nos buscadores isso vai te trazer muitas visitas das redes e de outras fontes.

https://preview.redd.it/ebu60n1pu3f41.png?width=1033&format=png&auto=webp&s=91e63add992294cb5e2749921289a8c8c073f9fd
Espero que minha resposta tenha sido adequada ao título, de coração desejo muito sucesso em suas divulgações e em sua tarefa de aparecer nas buscas do Google é bem posicionado, tem em mente que na internet você só precisa de uma coisa para ter sucesso: foco e muita dedicação… com isso certamente você vai atingir seu objetivo sem dificuldade alguma,
Agradeço muito se puder dar um voto positivo essa resposta e desejo mais uma vez muito sucesso, até uma próxima oportunidade…
Arquivada em:
https://onlinerenda.com.bblog/qual\_e\_a\_melhor\_maneira\_de\_aparecer\_nas\_buscas\_e\_no\_topo\_do\_ranking\_do\_google.html
submitted by ebookrevenda to MarketingDigitalBR [link] [comments]


2020.01.28 16:23 wq1119 AVISO: Você tem até o dia 31 de Janeiro para salvar os conteúdos do Yahoo! Grupos que serão deletados em 31 de Janeiro - Arquive os seus grupos agora para preservar boas memórias e história da internet para o futuro.

2 Meses atrás eu fiz um post detalhando que todos os grupos do Yahoo seriam fechados em 14 de Dezembro, mas o Yahoo ampliou este prazo para 31 de Janeiro, então agora mesmo é a sua última chance de baixar tudo que tinha lá, caso você ainda não saiba disso.
https://groups.yahoo.com/neo/getmydata
Talvez você se lembre entre 2001-2009 de estar conversando sobre videogames, filmes, desenhos, música, notícias, viagens, humor, ou apenas batendo um papo com seus amigos no Grupos Yahoo! - pois então, todas essas lembranças desde 1998 serão perdidas para sempre em 31 de Janeiro de 2020 caso você não arquive isso até lá.
A internet muda muito, e vários sites dessa época estão sendo fechados rápidamente por causa de serem trocados outros gigantes como o Instagram, Twitter, e Facebook, eu fico realmente triste ao ver isso, sendo que estamos na era digital aonde temos jeito de preservar tudo, já perdi a conta de quantos sites e serviços famosos fecharam nessa última década, então imagine só a quantidade de sites que serão fechados na década de 2020 e no futuro a seguir.
Ao invés de livros que queimam, fotos que são perdidas, ou fitas VHS que estragam, na internet você pode preservar tudo isso para sempre - mas apenas no momento que é possível, imagina o quão legal deve ser você como um véio mostrar as suas merdapostagens de 2006 para o seus netos adolescentes em 2071?!, precisamos preservar sites para gerações futuras! ou simplesmente por quê temos interesse de ler coisas dessa época, como no meu caso.
Pois então, aqui está o anúncio do próprio Yahoo: https://help.yahoo.com/kb/groups/SLN31010.html
  • What features will go away?
Files
Polls
Links
Photos
Folders
Calendar
Database
Attachments
Conversations
Email Updates
Message Digest
Message History
TLDR, basicamente tudo desaparecerá.
Agora, é possível sim arquivar o conteúdo dos grupos para leitura offline ou arquivação em sites como a WaybackMachine, eu nunca tive uma conta no Yahoo! portanto eu não entendo muito bem como isso tudo funciona, mas sei que você poderá salvar a data do grupo se você for um admin semelhante com o Google Takeout:
  • How can I keep my Yahoo Groups content?
Photos and files can be saved right from the Yahoo Groups site, or you can download your data from the Privacy Dashboard.
Agora, se você não for um admin e não tiver acesso para baixar o conteúdo do grupo, tente entrar em contato com os caras do ArchiveTeam ou seguir as instruções do /DataHoarder aqui no Reddit:
O pessoal do /DataHoarder fez uma atualização sobre a situação dos arquivamentos dos grupos, leia bem o post.
https://www.archiveteam.org/index.php?title=Yahoo!_Groups
https://github.com/davidferguson/yahoogroups-joiner
https://www.reddit.com/DataHoardecomments/dipcj6/all_of_yahoo_groups_is_being_rm_rfd_december_14/
https://www.reddit.com/DataHoardecomments/dqoa9u/help_us_save_as_many_yahoo_groups_as_possible/
Como eu já disse, eu nunca usei o Yahoo! Grupos mas mesmo assim quero fazer esse PSA para quem quer ajudar a preservar história da internet, ou na maioria das vezes, memórias pessoais, espero que tudo dê certo com vocês que estão arquivando.
submitted by wq1119 to brasil [link] [comments]


2019.11.17 17:07 wq1119 AVISO: Todos os Grupos do Yahoo! serão deletados em 14 de Dezembro, arquive os seus grupos agora para preservar história e boas memórias da internet para o futuro.

Talvez você se lembre entre 2001-2009 de estar conversando sobre videogames, filmes, desenhos, música, notícias, viagens, humor, ou apenas batendo um papo com seus amigos no Grupos Yahoo! - pois então, todas essas lembranças desde 1998 serão perdidas para sempre em 14 de Dezembro de 2019 caso você não arquive isso até lá.
A internet muda muito, e vários sites dessa época estão sendo fechados rápidamente por causa de serem trocados outros gigantes como o Instagram, Twitter, e Facebook, eu fico realmente triste ao ver isso, sendo que estamos na era digital aonde temos jeito de preservar tudo, já perdi a conta de quantos sites e serviços famosos fecharam nessa última década, então imagine só a quantidade de sites que serão fechados na década de 2020 e no futuro a seguir.
Ao invés de livros que queimam, fotos que são perdidas, ou fitas VHS que estragam, na internet você pode preservar tudo isso para sempre - mas apenas no momento que é possível, imagina o quão legal deve ser você como um véio mostrar as suas merdapostagens de 2006 para o seus netos adolescentes em 2071?!, precisamos preservar sites para gerações futuras! ou simplesmente por quê temos interesse de ler coisas dessa época, como no meu caso.
Pois então, aqui está o anúncio do próprio Yahoo: https://help.yahoo.com/kb/groups/SLN31010.html
  • What features will go away?
Files
Polls
Links
Photos
Folders
Calendar
Database
Attachments
Conversations
Email Updates
Message Digest
Message History
TLDR, basicamente tudo desaparecerá.
Agora, é possível sim arquivar o conteúdo dos grupos para leitura offline ou arquivação em sites como a WaybackMachine, eu nunca tive uma conta no Yahoo! portanto eu não entendo muito bem como isso tudo funciona, mas sei que você poderá salvar a data do grupo se você for um admin semelhante com o Google Takeout:
  • How can I keep my Yahoo Groups content?
Photos and files can be saved right from the Yahoo Groups site, or you can download your data from the Privacy Dashboard.
Agora, se você não for um admin e não tiver acesso para baixar o conteúdo do grupo, tente entrar em contato com os caras do ArchiveTeam ou seguir as instruções do /DataHoarder aqui no Reddit:
https://www.archiveteam.org/index.php?title=Yahoo!_Groups
https://github.com/davidferguson/yahoogroups-joiner
https://www.reddit.com/DataHoardecomments/dipcj6/all_of_yahoo_groups_is_being_rm_rfd_december_14/
https://www.reddit.com/DataHoardecomments/dqoa9u/help_us_save_as_many_yahoo_groups_as_possible/
Atualmente estou querendo arquivar o grupo que o meu pai usava para marcar eventos com os amigos dele pelo menos desde 1995, ele me disse que ele e os amigos migraram dos chats da internet primitiva (IRC ou Usenet? ele não se lembra) pro Yahoo Grupos entre 1998-2001, e o cara dando risada disse que a grande maioria dos amigos dele nesse grupo já morreram e que ele só conhece um cara de lá que ainda está vivo, e que ele quer que o grupo seja deletado mesmo, literalmente se recusando a me falar o nome do grupo, portanto, deve ter conversas incríveis por lá.
Como eu já disse, eu nunca usei o Yahoo! Grupos mas mesmo assim quero fazer esse PSA para quem quer ajudar a preservar história da internet, ou na maioria das vezes, memórias pessoais.
submitted by wq1119 to brasil [link] [comments]


2019.02.13 20:36 Tetizeraz Amanhã, 14/02, tem AMA/PQC com Célio Costa Filho, editor e administrador da Wikipédia lusófona!

Célio Costa Filho é um editor experiente e administrador desde 2005 na Wikipédia lusófona, membro do grupo de usuários Wiki Movimento Brasil, membro fundador da Open Knowledge Brasil, e coordenador wiki do capítulo brasileiro da Creative Commons. Também trabalha para um centro de difusão de pesquisa na USP com wikis e difusão científica.
Na Wikipédia em português, edita há mais de dez anos. Durante esse período também trabalhou brevemente com a Wikimedia Foundation, e escreveu o "Wikipédia de A a Z".
Convidamos nossos usuários a perguntarem ao Célio amanhã sobre como começar a editar na Wikipédia e em outros projetos, acesso livre, etc. Ele estará disponível entre as 14:00 até às 17:00!
E-mail: [email protected]
PQC no ar! https://www.reddit.com/brasil/comments/aqkzie/pqc_c%C3%A9lio_costa_filho_editor_e_administrador_da/
submitted by Tetizeraz to brasil [link] [comments]


Ajuda para Conta do Yahoo